Colelitíase

Aposto que você em algum momento da sua vida reclamou ou ouvir alguém reclamando sobre problemas com digestão, inclusive constando às vezes até náuseas, dores fortes no abdômen, não é? Estes sintomas descritos, podem estar presentes em diversas doenças e problemas, assim como em pacientes na condição de pedras na vesícula. E o que isso tem a ver com Colelitíase? Veja abaixo!

A colelitíase é exatamente o acúmulo desses pedras (cálculos) no órgão. É mais comum que esse quadro clínico comece de forma assintomática, e que o tempo, faça com que apareçam dores e desconfortos, causando incômodos para o dia a dia, e podendo atrapalhar muito a sua qualidade de vida.

Essa patologia, a Colelitíase, é causada por um desequilíbrio na concentração de materiais da bile. Infelizmente, ainda, a causa dessa instabilidade, não é totalmente compreendida.

Como que a colelitíase surge?

A bile é constituída por um conjunto de substâncias. Essas substancias são o colesterol e sais minerais. Como sabemos, normalmente, quase nada em excesso é bom, então, quando há excesso desses elementos, as pedras se formam. Ou seja, a colelitíase surge.

Esses cálculos (pedras) se instalam e ficam presos nos ductos da vesícula, parte da saída do órgão. Isso acaba gerando a inflamação e o bloqueio do envio da bile para o intestino.

Os principais e mais comuns sintomas da colelitíase

Falamos acima de que os sintomas para colelitíase podem demorar um pouco para aparecer, que não é sempre que a doença apresenta sintomas no início. Porém, logo a dor aparece, e, vale lembrar que se aparecer, ela costuma ser forte, na área direita do abdômen.

Além disso, também podem ser apresentados os seguintes sintomas surgir:

  • náuseas e vômitos;
  • suores;
  • mal-estar geral;
  • dor no estômago.

Os pacientes que estão sofrendo com colelitíase, normalmente sentem esses incômodos cerca de meia hora depois de uma refeição e não costumam ser aliviados com analgésicos. É de grande importância, além do mais apropriado, procurar assistência médica e nunca se auto medicar.

Existe um grupo de risco para a doença colelitíase?

Sim, infelizmente existem algumas pessoas que estão mais propensas a ter colelitíase. São elas:

  • Pessoas que tem mais de 40 anos;
  • Mulheres que realizam reposição hormonal;
  • Fumantes;
  • Usuárias de anticoncepcional;
  • Pacientes com diabetes ou colesterol desregulado.

Colelitíase tem prevenção!

Após entender o que é a colelitíase, o mais importante é lembrar que existe uma boa notícia: é possível prevenir esse problema!

Se quer prevenir as chances de colelitíase, o fundamental é manter uma alimentação equilibrada, com boa quantidade de frutas e legumes, mas com baixo consumo de gorduras. Somente essa troca, já auxilia na redução do colesterol ruim no sangue.

Vale também se atentar em relação à quantidade de vitamina C que tem consumido. Pois é esse nutriente ajuda a evitar a formação das pedras. Sendo assim, use e abuse de frutas cítricas, como limão, laranja, acerola e goiaba.

Tratamentos normalmente indicados

Finalmente chegamos no ponto mais aguardado do artigo, tratamentos normalmente indicados para colelitíase. Primeiro, entendemos que esse problema tem cura e o seu diagnóstico pode ser feito por meio de exames de imagem.

A forma mais comum de tratar é com a remoção cirúrgica da vesícula, ou colecistectomia, ainda mais se o paciente em tratamento tem muitas pedras biliares. O procedimento pode ser feito de maneira convencional, com laparoscópica ou robótica. Essa escolha será definida conforme a avaliação individual e indicação médica do paciente.

Alguns casos e quadros clínicos mais simples, as mudanças na alimentação e determinados medicamentos já conseguem ajudar. Mas é a cirurgia que costuma ser o tratamento mais adequado.

Está com algum sintoma citado acima?

Depois da leitura, você se sentiu preocupado, ou percebeu estar sentindo algum dos sintomas que citei acima? Não se preocupe, e também não deixe que os sintomas piorem! Nossa saúde deve ser nossa principal preocupação!

Não durma com a cabeça cheia, ou preocupada, esclareça suas dúvidas, faça seus exames e consultas de rotina comigo. Se prevenir hoje, é evitar preocupações para o amanhã, sua saúde e seu fígado agradecem!

Pancreatite
Pancreatite, entenda mais sobre a doença
O pâncreas é um órgão presente no nosso sistema digestivo, e ele é o responsável...
Hepatites virais
Hepatites virais, tipos, diagnóstico, prevenção e tratamento
Hepatites virais consistem na inflamação do fígado provocada por uma infecção viral. Podem se apresentar...
Câncer de fígado
Câncer de fígado tem cura?
Uma das primeiras e principais perguntas que são feitas aos médicos do ramo da Hepatologia,...
cirrose hepática
O que significa cirrose hepática
Se ouvir por aí alguém comentando sobre cirrose, cirrose hepática, mas ainda não sabe o...
Abrir bate-papo
1
Escanear o código
Olá
Podemos ajudá-lo?